Expandindo o espaço de documentação no IPv6

04/07/2024

Expandindo o espaço de documentação no IPv6

Por Alejandro Acosta

Introdução e um pouco de história

Em primeiro lugar vamos falar um pouco sobre os prefixos IP de documentação: o objetivo desses prefixos é que sejam usados exclusivamente em livros, textos, exemplos, tutoriais, etc. e não sejam roteados na Internet. O seu sucesso também trouxe consigo maiores necessidades, o que me lembra um ditado muito sábio: os problemas de hoje foram as soluções de ontem.

Do outro lado algo muito interessante está acontecendo no âmbito do IETF e especificamente no grupo de trabalho v6ops. O que está acontecendo é que há exatos 10 anos um grupo de profissionais (incluindo este humilde servo) tentamos expandir o espaço de documentação no mundo do IPv6 [1]. Infelizmente, esta tentativa não prosseguiu e ficou no tinteiro.

Finalmente, hoje existe um ID (Internet Draft) que achamos vai conseguir (tornar-se um RFC). Seu nome é: “Expanding the IPv6 Documentation Space”. É um documento que apoiamos e acreditamos ser necessário e importante para a comunidade. É claro que, ao mesmo tempo, pensamos que era melhor voltar ao draft de 10 anos atrás e resgatá-lo, um mecanismo perfeitamente válido dentro do IETF.

Prefixos de documentação são necessários? Os endereços privados não têm o mesmo propósito?

São conceitos diferentes e cada um aborda problemas diferentes. Certamente às vezes tendem a se confundir, mas a concepção de cada um deles busca soluções diferentes.

O objetivo dos endereços privados no IPv4, e aproveitamos e falamos do ULA -Unique Local Address- no IPv6, é que sejam usados em redes internas, quer dizer, são endereços IP que sim estarão em uso na rede e configurados nos nossos equipamentos (desde computadores, até servidores, passando pelas impressoras e telefones celulares). De fato, muito provavelmente o computador com o qual você está lendo este artigo tenha um endereço privado no momento.

Leia também:

Do outro lado, os endereços ou prefixos IP de documentação destinam-se especificamente ao uso em documentos, revistas, exemplos na web, laboratórios e muito mais. Esses prefixos são muito importantes para garantir clareza e consistência na documentação topológica, sem afetar o funcionamento de uma rede. Por exemplo, no mundo IPv6 é provável que você leia um documento na web, em um vídeo ou em alguma revista, e que o endereçamento usado pertença ao prefixo 2001:db8::/32.

Finalmente, nenhum dos prefixos privados e/ou documentação devem ser roteados na Internet, nem devem ser aceitos, por exemplo, em roteadores que falem BGP para provedores da Internet.

No restante deste artigo vamos nos concentrar nos endereços IP de documentação que é justamente a mudança que está chegando ao mundo do IPv6.

Sobre o draft atual “Expanding the IPv6 Documentation Space”

É um documento da autoria de Geoff Huston e Nick Buraglio. A primeira versão foi lançada em 2021 e atualmente vai pela versão 03, que expira em 30 de novembro deste ano. Porém, já está em Last Call e com amplo apoio da maioria da comunidade. Nossa previsão é que em breve ela se torne um RFC Informational.

Como o documento progrediu dentro do IETF?

O que o draft está procurando?

Este documento propõe reservar um prefixo de endereço IPv6 adicional para ser usado em documentação. Hoje temos o bloco de endereços 2001:db8::/32 reservado para esta finalidade, mas sugere-se expandi-lo com um prefixo maior, especificamente um /20.

Motivos

Esta expansão permitirá que os exemplos documentados reflitam com mais precisão uma gama mais ampla de cenários de implementação realistas e se alinhem melhor com os modelos contemporâneos de designação para grandes redes. Sem precisar ir muito longe, para aqueles de nós que ministramos cursos sobre o IPv6, muitas vezes ficamos limitados na capacidade de criar topologias e planos de endereçamento IPv6 que atendam a muitas empresas e necessidades.

Argumentos

Argumenta-se que com a expansão da implementação global do IPv6, os cenários individuais de implementação de redes IPv6 aumentaram em tamanho e diversidade, tornando o prefixo 2001:db8::/32 original insuficiente para descrever muitas topologias atuais de implementação realistas. A designação de um /20 resolverá todas as limitações anteriores e até abrirá novas possibilidades que escapam à nossa imaginação.

Algumas informações que apoiam o que foi dito acima

De acordo com dados divulgados pelos Registros Regionais da Internet em agosto de 2023, cerca de 25,9% de todas as designações IPv6 registradas têm tamanho maior que um /32. Destaca-se que a maioria das designações são /29. Acredita-se que reservar um /20 cobriria as necessidades de documentação em relação à ampla gama de implementações ajustadas à realidade. Como referência, em um /20 temos 4096 /32s. Na nossa região podemos criar, entre outros, um plano de endereçamento IPv6 para uma multinacional que queira ter /32 em cada país da LATAM (e do mundo) sem nenhum inconveniente.

Outros pontos importantes

Observe que os prefixos de documentação não devem ser usados ​​para tráfego real, não devem ser anunciados globalmente e não devem ser usados ​​internamente para tráfego produtivo ou conectividade. É importante filtrar os prefixos de documentação nas publicações de prefixos de roteamento conforme apropriado.

Conclusões

Acreditamos que este documento terá andamento nos próximos meses dentro do IETF, posteriormente teremos um prefixo de documentação /20 que cobrirá perfeitamente quase todo o laboratório de redes pensáveis ​​e com isso os benefícios para o ecossistema da Internet e a promoção do protocolo IPv6.

Referências:

Subscribe
Notify of

0 Comments
Inline Feedbacks
View all comments