Desafio IPv6: o desafio de liderar as mudanças a partir da universidade

30/11/2017

A Universidade Autônoma de Yucatán (México) foi a vencedora da segunda edição do desafio IPv6, organizado pelo Fórum da América Latina do IPv6 e a área de I+D de LACNIC.

O Desafio IPv6 é um concurso ideado por LACNIC para incentivar e promover o uso deste protocolo na região da América Latina e o Caribe.

A segunda edição contou com a presença de diferentes organizações e empresas que implementaram o IPv6 em suas redes nos países da América Latina e do Caribe e apresentaram seus trabalhos documentados com este protocolo da Internet.

A equipe vencedora da segunda edição é integrada por Felipe Mijangos Manrique, Carlos Rico Blanco e Enrique Solís Pomar sob a coordenação de Emmanuel Serrano Piña e Carmen Denis Polanco, todos da Universidade Autônoma de Yucatán.

Carmen Denis Polanco disse a LACNIC News que o Desafio IPv6 permitiu enfrentar desafios internos para liderar o processo de adoção e implementação do IPv6 no sistema de redes da Universidade de Yucatán, garantindo a infraestrutura para o desenvolvimento da Internet.

O que levou vocês a participarem do desafio IPv6?

Foram vários os motivos que, como Universidade Autônoma de Yucatán (UADY), nos levaram a participar do desafio IPv6. Entre os que podemos mencionar encontramos: a oportunidade de participar e contribuir com o nosso progresso em benefício do México e da região da América Latina e o Caribe; conscientizar e motivar dentro da UADY a importância de atuar para a implementação do IPv6; e estabelecer as bases na UADY para garantir o desenvolvimento do futuro da Internet e o suporte de novas tecnologias.

Com qual desafio vocês se encontraram no processo?

Enfrentamos vários desafios, desde convencer à alta direção da UADY para a aprovação do recurso econômico para a gestão da designação do bloco IPv6 perante o AR México, até a frágil formação do pessoal de TI designado como equipe para participar no desafio, quem com toda a atitude e cuidado – mesmo sem negligenciar sua responsabilidade com o suporte e fornecimento de serviços de TI na rede universitária – puderam enfrentar uma tarefa tão importante.

Que avances conseguiu implementar a sua universidade em relação ao IPv6?

Como Universidade, avançamos no pedido do bloco IPv6 perante o IAR México, que, até outubro, conseguiu-se a assinatura do contrato correspondente; outro avanço é o fato de ter conformado o plano para a implementação do IPv6 na rede universitária e, finalmente, foi enriquecida a base de conhecimentos atual na qual foram documentados os guias e instruções de configuração resultantes do laboratório de testes habilitado na UADY para o desafio IPv6, que serão a base para o andamento do plano de implementação.

Você acha que as organizações são cientes da necessidade de implementar o IPv6 ou ainda pensam nela como uma coisa distante?

É uma realidade que as instituições educacionais, como as universidades, estão tendo uma resposta lenta para a adoção desse protocolo, pelo menos no México, se compararmos isso com outras instituições da América Latina e o Caribe; sendo um contraste do acontecido há 25 anos quando as universidades eram o ponto de partida e desenvolvimento da Internet. Hoje, temos desafios muito mais complexos sobre o futuro da Internet no curto prazo, e as universidades estamos cientes da necessidade e da importância de trabalhar arduamente para a adoção e implementação do IPv6, e de ir evoluindo para um desenvolvimento e promoção que permita aplicar boas práticas para a operação harmoniosa do BGP/RPKI e o ecossistema de segurança.

Qual foi o processo interno em sua universidade para decidir avançar na implementação do IPv6?

A universidade é ciente da necessidade de estar na vanguarda nos seus processos e serviços inovadores de tecnologias da informação alinhados com a Agenda Digital do Reitor da UADY, impactando em prol da comunidade universitária e da própria sociedade da região do sudeste mexicano. Portanto, e como parte da estratégia de renovação do funcionamento da rede universitária para enfrentar os novos desafios exigidos pela Internet no futuro próximo, estão sendo realizadas as seguintes ações para a implementação do IPv6: testes de laboratório que são realizados antes da liberação de esquemas de configuração na rede universitária e em serviços de TI; dar continuidade ao projeto para melhorar a conectividade da rede que considera a renovação da infraestrutura e equipamentos de comunicações com compatibilidade do protocolo IPv6; adoção e implementação do IPv6 na nuvem; estabelecimento de um grupo de trabalho para a implementação do IPv6 na UADY, que será integrado pelos Administradores de TI que administram a rede e os serviços nas faculdades e dependências da UADY.

Quais são as principais dificuldades ao discutir sobre a implementação do IPv6?

Entre as dificuldades podemos citar a falta de pessoal de TI, juntamente com o aumento constante da demanda por fornecimento de serviços de TI para a comunidade universitária, que limita o tempo para a inovação e realização de novos projetos; a idealização dos métodos de transição para a mudança do uso do IPv4 para o IPv6, um processo de mudança tecnológica na infraestrutura que o suporta e recursos para a aquisição da referida infraestrutura.

Deixe um comentário

Não há comentários

Suscríbete para recibir las últimas novedades en tu mail Click here to subscribe receive the latest news in your inbox. Inscreva-se aqui para receber as últimas novidades no seu e-mail